Arquivo da tag: azeites

A gastronomia portuguesa – azeites e temperos

Continuando a falar da gastronomia portuguesa, mesmo que você não goste de bacalhau, pães, sopas ou cozidos, certamente algo da culinária lusitana está presente na sua cozinha: o azeite de oliva! Neste post vamos falar dele e de outros temperos.

Azeite

Portugal está localizado na região mediterrânea da Europa, atualmente, responsável por 95% da produção mundial de azeite, favorecida pelas suas condições climáticas, propícias ao cultivo das oliveiras, com bastante sol e clima seco.

Grande parte dos pratos portugueses começam a ser preparados a partir de um refogado de cebola e/ou alho, puxados em azeite. Muito utilizado como condimento em sopas de legumes, assim como no bacalhau e outros peixes assados, podemos encontrar o azeite inclusive na receita de bolos e doces, principalmente os alentejanos.

Os azeites são classificados segundo o seu processo de produção da seguinte forma:

Azeite de oliveira virgem: obtido por processos mecânicos. Dependendo da acidez do produto obtido, este azeite pode ser classificado como sendo do tipo extra, virgem ou comum. O azeite virgem apresenta acidez máxima de 2%.

Azeite extra-virgem: não pode passar de 0,8% de acidez e nem apresentar defeitos..

Azeite de oliva refinado: produzido pela refinação do azeite virgem, que apresenta alta acidez e incidência de defeitos a serem eliminados na refinação. Pode ser misturado com o azeite virgem.

Azeite de oliva comum: é obtido da mistura do azeite lampante, inadequado ao consumo, reciclado por meio de processos físico-químicos e sua mistura com azeite virgem e extra-virgem.

Temperos

Enquanto no norte de Portugal se usa quase exclusivamente a salsa, o louro, a cebola e o alho, no sul, especialmente no Alentejo, utilizam-se diversas ervas aromáticas, como os coentros, as mentas (hortelã, poejo, etc), os orégãos, o alecrim, etc.

Desde que Vasco da Gama descobriu o caminho marítimo para a Índia, os portugueses utilizam a pimenta (designada no Brasil como pimenta-do-reino), a noz-moscada, o cravinho-da-índia e o açafrão, entre outros.

Já quando pensamos em doces portugueses, podemos começar a sentir o cheirinho característico da canela, utilizada em abundância.

Depois disso, fica evidente que a culinária brasileira sofreu grandes influências dos seus colonizadores, não é mesmo? Se quiser descobrir mais sobre Portugal, aguarde o próximo post! 😉

Anúncios